fbpx

Bilion: posicionamento, identidade e estratégia de marca

A Bilion tinha um desafio comum a muitas empresas industriais. À primeira vista, o que fabrica não podia ser menos sexy e mais difícil de diferenciar.

“Componentes para portas industriais” são invisíveis ao utilizador final: estão na ponta final de uma longa cadeia de decisões. Quem constrói uma casa ou um armazém nem mesmo quer saber qual é a porta que o empreiteiro escolhe – o que dizer das molas ou dobradiças que vão lá dentro.

Só que para a Bilion era mesmo crítico estabelecer uma diferença. Já tendo conquistado a confiança dos fabricantes de portas automáticas em Portugal, onde domina quase 100% do mercado, tinha agora o desafio de se internacionalizar. Nos mercados europeus, maiores e mais distantes, a agressividade comercial e as boas relações pessoais não bastam. É preciso ter uma presença digital e uma promessa distintiva.

Para complicar, os concorrentes nesse mercado são multinacionais gigantes. Como poderia a Bilion, muito mais pequena e a produzir uma típica “commodity”, diferenciar-se?

Chamada a ajudar, a Hamlet começou por procurar entender o mercado, à procura de uma fresta. O que é que só a Bilion poderia oferecer aos seus potenciais clientes, e em que circunstâncias?

A resposta foi procurar a vantagem competitiva da Bilion precisamente naquilo que parecia uma desvantagem: não ser uma multinacional gigante. Por trabalhar com quantidades menores, e por produzir na Europa, a Bilion tem mais flexibilidade, rapidez e facilidade em responder a pedidos especiais. Além disso, sendo uma empresa familiar, sabe desenvolver relações fortes e pessoais com os clientes.

“O seu pedido especial não tem nada de especial para a Bilion” é a promessa com que a Hamlet traduziu este novo posicionamento da Bilion. Para o apoiar, criou ainda uma nova identidade visual e uma estratégia de comunicação digital que arrancou, no início de 2020, com o novo site da marca.

 

Mais sobre: