fbpx

Descoberta de principiante: e não é que o direct mail funciona?

Em muitas empresas B2B, a comunicação raramente está no topo das prioridades. Há sempre algo que requer mais atenção, tempo e dinheiro. Mas o Direct Mail pode ser uma alternativa viável – não exigindo budgets milionários para ser eficaz. Veja aqui alguns exemplos.

Ainda não sei muito sobre o mundo B2B, mas já fui reparando que estas empresas não investem tanto em comunicação quanto as dirigidas ao consumidor.

A sua comunicação digital é eficaz?Há quase sempre outras prioridades que deixam pouco tempo e dinheiro para isso. E muitas vezes, a solução acaba por ser não comunicar.

No entanto, também no business-to-business o marketing e a comunicação são vitais para o crescimento de um negócio. E fazê-lo com budgets e prazos apertados não tem que ser tão difícil quanto aparenta.

Isto é algo que eu já aprendi aqui na Hamlet: os problemas raramente são tão complicados quanto parecem. E, no que diz respeito à comunicação, uma boa dose de criatividade aplicada a objetivos bem definidos pode fazer maravilhas.

Direct Mail (ou o outro caminho menos percorrido)

Ou eu estou muito enganada ou o que lhe veio à cabeça quando falei em comunicação com budgets apertados foi marketing digital.

Faz sentido – afinal vivemos praticamente online. E já todos ouvimos e conhecemos as vantagens e o potencial da comunicação digital.

O que talvez lhe ocorra com menor frequência é o impacto que o direct mail continua a ter em quem o recebe.

Aliás, com a popularidade crescente dos meios digitais, o direct mail pode ter-se tornado mais forte. É fácil perceber porquê: como toda a gente acha que já não funciona, ou é demasiado caro, a concorrência nas caixas de correio é muito menor.

Além disso, como nós até fomos ganhando alguma imunidade a emails e redes sociais, receber um simples postal por correio passou a ser uma surpresa. Que pode provocar bastante entusiasmo.

E lá está: não é tão difícil quanto soa.

  • Pode enviar um postal

A um passo de 2013, a Hamlet, por exemplo, enviou este postal – um formato que pode ser simples mas incisivo.

Na passagem de ano para 2013, a Hamlet criou este postal. Começou com um teaser.20151105_152809

Clique na imagem para ver melhor. Ou aqui para ver a versão online.

 

Junte um problema que saiba que anda na mente do seu target  – neste caso, a crise e um ano que se esperava terrível – com um pouco de criatividade e otimismo, e já está: tem uma mensagem de motivação e entusiasmo. E destaca a sua empresa de forma positiva.

  • Ou uma encomenda – com um twist

Neste artigo – 10 sugestões para a sua empresa ter um grande Natal – uma das sugestões, era inovar. E proporcionar experiências que se pareçam com o desembrulhar de um presente na manhã de Natal.

O mesmo conselho pode aplicar-se a qualquer ação de direct mail – inove e surpreenda. É garantido que o seu envio e a sua empresa serão recordados por muito mais tempo.

crise é crise 3 crise é crise 2

crise é crise
Nesta ação de Natal da Hamlet, enviámos a típica garrafa de Porto. Mas com um twist para despertar curiosidade e ser recordado. Clique na imagem para ver melhor.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  • Então e se enviar um café? Ou uma concha? Ou um origami? Ou passas?…

20151105_152837

20151105_15272520151105_152413

Clique e leia a carta que a Hamlet enviou juntamente com as 12 passas +1._

_

Clique nas imagens e veja os exemplos de direct mail da Hamlet

 

Conhece o nosso ebook “10 passos simples para reanimar clientes adormecidos”? Uma das dicas que damos é não deixar que se esqueçam de si e do seu negócio.

E aqui está uma forma de conseguir precisamente isso. Uma carta, quando é bem escrita, pode fazer o seu destinatário sentir-se valorizado e importante para si e para a sua empresa.

Mas não há razão para se limitar à carta. Faça um envio diferente: junte um “anexo” estimulante e acorde os clientes para a sua existência.

  • Só não se esqueça do call-to-action

Clique na imagem para ler a quadra que a Hamlet enviou aos seus clientes.

Por exemplo, a Hamlet enviou uma quadra por altura dos santos populares. Seguia com uma carta e ambas eram inspiradas neste artigo escrito para o Jornal de Negócios.

Mas o que eu queria destacar era mesmo este cartãozinho.

Às vezes, a melhor forma de garantir resultados é dizer às pessoas exatamente aquilo que quer que elas façam. A sua criatividade – todo aquele exercício fatigante de ter uma ideia – pode resultar em nada se não incluir um call-to-action direto e específico.

Como o que remata esta ação, por exemplo.

 

Pronto, por agora é tudo. Espero que este artigo lhe tenha sido útil.

Se reparou em alguma informação ou dica que deixei escapar, esteja à vontade para me dizer. Deixe um comentário nas nossas redes sociais, por exemplo.

E se quiser mais formas criativas de usar o seu Direct Mail, fale com a Hamlet.


Claudia Aleixo, da Hamlet

Botão_newsletter_2

CATEGORIAS:
Comunicação de marketing, Direct mail, Marketing B2B