fbpx

Como é que eu sabia que a Tatiana ia ganhar?

A compra de um elevador de transferência para a Tatiana, que tem sindrome de Rett, foi a causa vencedora de Agosto.

O Movimento 1 euro é uma iniciativa interessantíssima: uma instituição de solidariedade social cuja aposta central – a sua USP, se quiserem – é a transparência. O seu funcionamento está todo pensado para contrariar as suspeitas que às vezes assombram este tipo de entidades, tirando partido dos recursos da internet.

A mecânica é simples e brilhante. Cada associado é convidado a dar um euro por mês – ou 12 euros por ano. A importância quase simbólica elimina resistências: quem é que não pode dar uma moedinha por mês? Mas, a partir daí, todos os associados são convidados a se responsabilizarem pelo destino da sua contribuição, votando mensalmente na causa que querem ver apoiada.

A outra praga que assola a solidariedade social – o nosso alheamento, que nos faz virar as costas para o trabalho realizado mesmo quando a nossa consciência ficou apaziguada por termos dado algum dinheiro – é assim combatida de uma forma simpática mas extremamente eficaz.

Em Agosto, ao receber o email da Associação convidando para votar na causa do mês, fui ver as candidaturas e não tive dúvida de quem seria a vencedora. Já não me lembro das outras (já não estão online, o que me parece uma falha) mas todas as causas eram meritórias. Podíamos, se não me engano, ajudar a comprar fraldas para uma instituição que acolhe bebés, ajudar um lar de idosos etc. Mas para mim era claro que a ANPAR, que acolhe portadores da síndrome de Rett, ia ganhar a votação.

Não porque fosse uma ajuda mais importante ou necessária que as outras – aliás, como julgar isso? Qualquer uma em que se votasse seria uma boa escolha: estava tudo devidamente documentado, explicado e orçamentado.

Mas a diferença é que a ANPAR era a única que tinha um nome e um rosto. E, por muito que a nossa razão até pudesse descobrir que alguma outra causa era mais urgente, ou que o dinheiro ia ser mais bem gerido, o nosso impulsivo coração – que, no final das contas, é sempre quem decide  – não sabe resistir a um nome e um rosto.

Ou seja, a ANPAR ganhou não por ser uma causa melhor que as outras, mas por causa da sua comunicação.

Na votação deste mês estão a concurso a Cruz Vermelha, um abrigo para cães, uma comunidade de inserção para mulheres em risco e a Raríssimas. Não revelo o meu voto, mas mais uma vez não tenho dúvidas sobre quem vai ganhar.

Porquê? Vá lá, inscreva-se (só 1 euro por mês) e veja você mesmo porquê.

 

Jayme Kopke

Botão_newsletter_2

CATEGORIAS:
Comunicação de marketing, Comunicação institucional, e-mail marketing, O mundo online