Hamlet ajuda Novabase a fazer um Relatório e Contas diferente

Capa do R&C  2013 da Novabase

Um Relatório & Contas diferente do habitual, onde em vez de olhar para trás a Novabase preferiu espreitar o futuro

Tirando investidores e analistas, um Relatório e Contas é aquela publicação obrigatória das empresas que ninguém propriamente lê, certo?

A Novabase parece não pensar assim. No seu Relatório e Contas de 2013 preferiu ver uma oportunidade para comunicar a sua marca e traduzir a visão da empresa de forma interessante e surpreendente.

Celebrando este ano o seu 25º aniversário, a Novabase decidiu não fazer a o habitual, ou seja, uma retrospectiva do seu percurso desde 1989. Seria uma história fascinante, uma vez que a startup daquele tempo se transformou na maior tecnológica do país. Mas, em vez de olhar para trás, a Novabase preferiu espreitar o futuro.

“Como acha que a tecnologia vai mudar o mundo e a vida das pessoas nos próximos 25 anos?” foi a pergunta colocada a alguns dos decisores de topo da empresa. O resultado foram várias horas de entrevistas com reflexões sobre o papel da tecnologia, a nossa capacidade de prever o futuro e alguns vislumbres sobre o que podemos esperar para a próxima década.

Interior do R&C 2013 da Novabase

Com textos da Hamlet, o Relatório & Contas da Novabase oferece alguns vislumbres do futuro

Com texto da Hamlet, o livrinho “Now What?”, que acompanha o Relatório e Contas, partilha algumas destas reflexões – feitas a partir do olhar privilegiado de quem lida com a tecnologia todos os dias, conhece a fundo as suas tendências e as suas incógnitas. E que, por isso, sabe melhor do que ninguém a dificuldade de adivinhar o futuro num mundo que muda tão depressa.

“Não podermos prever o futuro não nos impede de sonhá-lo”, lê-se na primeira página do Relatório. E é a partir desse “sonho” que a Novabase consegue uma proeza: transformar um Relatório e Contas numa leitura que ninguém vai querer largar.

Quer estar sempre em dia com as melhores formas de comunicar com clientes empresariais, formadores de opinião, colaboradores ou outros públicos profissionais? Assine a nossa B2B NewsLetter.