Os 3 primeiros passos da sua estratégia para as redes sociais

No artigo 10 Ways Social Media Will Change in 2011 o Read Write Web, blog de referência em IT , é só mais um a afirmar que as redes sociais serão cada vez mais uma presença quotidiana, ainda mais com a migração acelerada para telemóveis e tablets.

E a sua empresa, no meio disso? Se é como a maior parte, das duas, uma: ou ainda não está de todo nas redes sociais, ou já deu uns passinhos, ainda tímidos, mas não tem propriamente uma estratégia articulada. Embora já lhe tenha ocorrido que talvez se esteja a atrasar. “Será que não corro o risco de ficar fora da festa?”

Por outro lado, a própria velocidade do fenómeno é desnorteante. Há menos de cinco anos o Second Life é que ia mudar o mundo (ainda se lembra desse tempo remoto?)  e pouco se  falava do Facebook. É claro que as redes sociais criam incríveis oportunidades de marketing – para perceber melhor os clientes, para os envolver, para ganhar visibilidade ou vender serviços. Mas por onde exactamente começar?

A Hamlet pensou no assunto e sugere-lhe três passos (detalhando um bocadinho o primeiro):

1. Conheça as redes. Facebook, Twitter, LinkedIn, Youtube, para citar apenas as vedetas, têm características e modos de funcionamento muito diferentes. Antes de decidir que a sua empresa deve estar aqui ou estar ali, só porque toda a gente o está fazer, não será melhor conhecê-las um pouco melhor primeiro?

2. Escolha onde quer estar. Cada rede social é de facto como uma grande festa, cada uma mais animada que a outra. Mas, por muito boa que seja a festa, não dá para ir a todas. O seu tempo não é infinito.  Há redes para trocar informação, para mostrar competências, para falar por imagens, para espiar o consumidor ou a concorrência, para recrutar… Onde estará o seu público? Qual a penetração no seu mercado? Antes de entrar e avançar para as bebidas, escolha a rede que melhor encaixa nos seus objectivos.

3. Decida o que vai lá fazer. Cada rede social é diferente e cada empresa também.  Qual o seu objectivo, a razão para investir tempo e recursos ali? Tal como nas festas, há quem venha para estar com todo o mundo, quem dê show na pista de dança, quem prefira falar com amigos, apresentar-se a desconhecidos ou, simplesmente, ficar no canto a observar. O que lhe apetece fazer? Decida antes de esbanjar o seu charme. E o seu tempo.

 

 

Então, vamos lá ao primeiro passo

O universo das redes sociais está em plena transformação. Consultando a listagem da Wikipedia, o ranking da eBizMBA que considera o tráfego global medido pelo serviço Alexa, a webtrends e Mashable, listamos as incontornáveis. Mas atenção: cada mercado tem o seu top. Como pode ver nestes mapas, em Portugal o Facebook está à frente. No Brasil, por exemplo, domina o Orkut.

Segue uma panorâmica muito sucinta do menu mais óbvio à sua escolha:

1.       Facebook: A maior rede social do mundo e o segundo mais popular website após o Google, já deu até um filme. Com 550 milhões de usuários, a sua vocação comercial mais evidente é ser um ponto de contacto directo com consumidores e servir para a divulgação de media viral. Normalmentenão seráa melhor escolha para a comunicação B2B, mas essa não é uma regra absoluta. Saiba aqui se usar o Facebook é indicado para o seu negócio.

2.       Twitter: descrita como o “SMS da Internet” é a rede generalista de micro-blogging e actualizações RSS com até 140 caracteres. 65 milhões de tweets são postados a cada dia. Pode ser uma boa aposta para a sua empresa? Claro que sim, mas é preciso ter alguns cuidados.

3.       LinkedIn: rede profissional e de negócios lançada em 2003. Representa 90 milhões de profissionais em 150 sectores. A crescer em todo o mundo, pontua entre outras redes de negócios, como o Ryze, uma rede aberta de empreendedores, o XING, rede aberta centrada na Europa e China, o Meettheboss, rede fechada vocacionada para finanças e senior management, o Talkbiznow e 0 Focus.com. Parece-nos a escolha mais óbvia para empresas que têm que falar com outras empresas ou profissionais.

4.       Youtube: o terceiro mais popular site do mundo tem cada vez mais razões para ser uma séria opção a considerar na sua estratégia de marketing para as redes sociais. Tal como o Flickr, rede de alojamento e partilha de fotografias e documentos gráficos, é considerado o exemplo daquilo que ficou conhecido como Web 2.0.

Na Hamlet temos investido algum tempo no LinkedIn, uma ferramenta que abre imensas possibilidades – tantas que jamais esgotaremos todas – para quem, como nós, tem de falar com públicos profissionais. A sua escolha poderá ser diferente — embora o nosso palpite seja que, se anda como nós no B2B, é no Linkedin que acabaremos por nos encontrar.Por isso, fique atento aos próximos posts.

Rita Monteiro (Redactora. Colaboradora da Hamlet)

e

Jayme Kopke

Botão_newsletter_2

CATEGORIAS:
Business to business, Comunicação de marketing, Marketing B2B, O mundo online, Redes sociais