Prosegur

“Rapidez e profissionalismo”

Marta Anahory, responsável pela Comunicação Interna & B2B Sales Support da Prosegur, avalia o trabalho da Hamlet:

“Reforçamos a nossa satisfação em ter trabalhado com a Hamlet na última edição da nossa revista interna, um processo em que corresponderam às nossas solicitações sempre com grande rapidez e profissionalismo”.

 

 

.

Veja mais testemunhos dos clientes da Hamlet:

“Muito profissionalismo e sentido prático”
Octávia Carrilho, Secretária-Geral da ANA Aeroportos de Portugal, avalia o  trabalho da Hamlet:

“O trabalho com a Hamlet, ao nível da concepção e produção da revista da empresa, tem-se revelado cada vez mais frutuoso.

Gosto particularmente da atitude de responsabilidade que é demonstrada no trabalho da Hamlet e da preocupação de se manter fiel a um projecto que nasceu com muita dedicação e empenho e no qual se acredita.

É um trabalho planeado e organizado. Há da parte da equipa da Hamlet muito profissionalismo e sentido prático e a combinação destas duas variáveis permite um resultado final muito positivo”.

“Perfeccionismo e criatividade”
Cristina Aragão Teixeira, Ex-Directora de Marketing e Comunicação da Novabase, avalia o trabalho da Hamlet:

Trabalhar com a Hamlet tem sido uma experiência muito positiva. Sobretudo porque surpreendem sempre, ou quase sempre, principalmente no que toca à criatividade. Estudam o briefing e propõem algo imprevisível. Às vezes estranha-se, depois ama-se.

Aprecio particularmente a forma exigente como analisam o briefing: “massacram” o cliente a querer perceber tudo. Valorizo também a qualidade dos textos, é um dos valores acrescentados da Hamlet, e o perfeccionismo na execução dos trabalhos.

Não tenho qualquer hesitação em recomendar os serviços da Hamlet na comunicação de marketing.

“O parceiro ideal”
Paulo Rosa, Country Manager da Vexcorp Portugal, avalia a contribuição da Hamlet para a estratégia de lançamento da empresa no mercado português:

“A Vexcorp procura consolidar a sua operação em Portugal e viu na Hamlet o parceiro ideal para ajudar a criar uma estratégia que nos permita competir no disputado mercado português de wi-fi.

A Hamlet encontrou um ângulo de abordagem ao mercado português que tira partido da capacidade da Vexcorp na América Latina e no Brasil, em que somos líderes, abrindo-nos os olhos para um segmento de clientes empresariais e particulares que inicialmente não tínhamos considerado para o mercado europeu.

Vemos na Hamlet a capacidade estratégica, criativa e de implementação para nos ajudar a desenvolver propostas à medida das empresas portuguesas que podem beneficiar deste serviço, afirmando definitivamente a Vexcorp como um player importante no mercado português de telecomunicações.”

“Proactividade e rigor”
António Varela Afonso, Presidente do Conselho de Administração Executivo da CA Seguros, comenta o desempenho da Hamlet na promoção do processo de certificação da empresa:

“No primeiro projecto desenvolvido para a CA Seguros, a Hamlet demonstrou uma óptima compreensão das nossas necessidades de comunicação. Com uma atitude proactiva e rigorosa, aprofundou o brief “puxando” por nós na recolha de informação. O resultado foi além das nossas expectativas.

A CA Seguros seleccionou a Hamlet por ter apresentado um projecto de comunicação interna bem estruturado e muito apelativo em termos de imagem, com conteúdos perfeitamente adequados ao objectivo e ao orçamento, e com uma perspectiva de continuidade ao longo do período de desenvolvimento do projecto.

A comunicação proposta pela Hamlet contribuiu de forma decisiva para o entusiasmo das nossas equipas no lançamento do projecto. Continua a gerar agrado, uma vez que os colaboradores quiseram manter as peças da campanha nos seus locais de trabalho”

“Estratégia e capacidade de resposta”
Rui Lucena, Director de Marketing da CP Carga, avalia o trabalho da Hamlet:

“A Hamlet tem apoiado a CP Carga na comunicação da empresa e da marca comercial Cargo-Logistics Portugal. O trabalho da Hamlet tem sempre uma sólida base estratégica, que revela uma grande compreensão dos problemas específicos do mercado business-to-business, em que a CP Carga actua.

Também demonstra uma criatividade ajustada aos objectivos e focalizada nos resultados. Com uma boa capacidade de resposta em vários domínios – publicidade, direct mail, design, conteúdos de comunicação interna… – a Hamlet é um parceiro que tem merecido, da nossa parte, uma confiança crescente, e que nos surpreende a cada acção/iniciativa desenvolvida!”

Novabase

“Perfeccionismo e criatividade”

Cristina Aragão Teixeira, Ex-Directora de Marketing e Comunicação da Novabase, avalia o trabalho da Hamlet:

Novabase campus challenge“Trabalhar com a Hamlet tem sido uma experiência muito positiva. Sobretudo porque surpreendem sempre, ou quase sempre, principalmente no que toca à criatividade. Estudam o briefing e propõem algo imprevisível. Às vezes estranha-se, depois ama-se.

Aprecio particularmente a forma exigente como analisam o briefing: “massacram” o cliente a querer perceber tudo. Valorizo também a qualidade dos textos, é  um dos valores acrescentados da Hamlet, e o perfeccionismo na execução dos trabalhos.

Não tenho qualquer hesitação em recomendar os serviços da Hamlet na comunicação de marketing.”

Cristina Aragão Teixeira

Ex-Directora de Marketing e Comunicação da Novabase

.

Veja mais testemunhos dos clientes da Hamlet:

“Muito profissionalismo e sentido prático”
Octávia Carrilho, Secretária-Geral da ANA Aeroportos de Portugal, avalia o  trabalho da Hamlet:

“O trabalho com a Hamlet, ao nível da concepção e produção da revista da empresa, tem-se revelado cada vez mais frutuoso.

Gosto particularmente da atitude de responsabilidade que é demonstrada no trabalho da Hamlet e da preocupação de se manter fiel a um projecto que nasceu com muita dedicação e empenho e no qual se acredita.

É um trabalho planeado e organizado. Há da parte da equipa da Hamlet muito profissionalismo e sentido prático e a combinação destas duas variáveis permite um resultado final muito positivo”.

“Rapidez e profissionalismo”
Marta Anahory, responsável pela Comunicação Interna & B2B Sales Support da Prosegur, avalia o trabalho da Hamlet:

“Reforçamos a nossa satisfação em ter trabalhado com a Hamlet na última edição da nossa revista interna, um processo em que corresponderam às nossas solicitações sempre com grande rapidez e profissionalismo”.

“O parceiro ideal”
Paulo Rosa, Country Manager da Vexcorp Portugal, avalia a contribuição da Hamlet para a estratégia de lançamento da empresa no mercado português:

“A Vexcorp procura consolidar a sua operação em Portugal e viu na Hamlet o parceiro ideal para ajudar a criar uma estratégia que nos permita competir no disputado mercado português de wi-fi.

A Hamlet encontrou um ângulo de abordagem ao mercado português que tira partido da capacidade da Vexcorp na América Latina e no Brasil, em que somos líderes, abrindo-nos os olhos para um segmento de clientes empresariais e particulares que inicialmente não tínhamos considerado para o mercado europeu.

Vemos na Hamlet a capacidade estratégica, criativa e de implementação para nos ajudar a desenvolver propostas à medida das empresas portuguesas que podem beneficiar deste serviço, afirmando definitivamente a Vexcorp como um player importante no mercado português de telecomunicações.”

“Proactividade e rigor”
António Varela Afonso, Presidente do Conselho de Administração Executivo da CA Seguros, comenta o desempenho da Hamlet na promoção do processo de certificação da empresa:

“No primeiro projecto desenvolvido para a CA Seguros, a Hamlet demonstrou uma óptima compreensão das nossas necessidades de comunicação. Com uma atitude proactiva e rigorosa, aprofundou o brief “puxando” por nós na recolha de informação. O resultado foi além das nossas expectativas.

A CA Seguros seleccionou a Hamlet por ter apresentado um projecto de comunicação interna bem estruturado e muito apelativo em termos de imagem, com conteúdos perfeitamente adequados ao objectivo e ao orçamento, e com uma perspectiva de continuidade ao longo do período de desenvolvimento do projecto.

A comunicação proposta pela Hamlet contribuiu de forma decisiva para o entusiasmo das nossas equipas no lançamento do projecto. Continua a gerar agrado, uma vez que os colaboradores quiseram manter as peças da campanha nos seus locais de trabalho”

“Estratégia e capacidade de resposta”
Rui Lucena, Director de Marketing da CP Carga, avalia o trabalho da Hamlet:

“A Hamlet tem apoiado a CP Carga na comunicação da empresa e da marca comercial Cargo-Logistics Portugal. O trabalho da Hamlet tem sempre uma sólida base estratégica, que revela uma grande compreensão dos problemas específicos do mercado business-to-business, em que a CP Carga actua.

Também demonstra uma criatividade ajustada aos objectivos e focalizada nos resultados. Com uma boa capacidade de resposta em vários domínios – publicidade, direct mail, design, conteúdos de comunicação interna… – a Hamlet é um parceiro que tem merecido, da nossa parte, uma confiança crescente, e que nos surpreende a cada acção/iniciativa desenvolvida!”

Novabase

“Perfeccionismo e criatividade”

Cristina Aragão Teixeira, Ex-Directora de Marketing e Comunicação da Novabase, avalia o trabalho da Hamlet:

Campanha de recrutamento de talentos para a Novabase, criada pela Hamlet

Em 2010 a Hamlet desenvolveu para a Novabase a campanha de divulgação do programa Novabase Academy

 Trabalhar com a Hamlet tem sido uma experiência muito positiva. Sobretudo porque surpreendem sempre, ou quase sempre, principalmente no que toca à criatividade. Estudam o briefing e propõem algo imprevisível. Às vezes estranha-se, depois ama-se.

Aprecio particularmente a forma exigente como analisam o briefing: “massacram” o cliente a querer perceber tudo. Valorizo também a qualidade dos textos, é  um dos valores acrescentados da Hamlet, e o perfeccionismo na execução dos trabalhos.

Não tenho qualquer hesitação em recomendar os serviços da Hamlet na comunicação de marketing.

.

Veja mais testemunhos dos clientes da Hamlet:

“Muito profissionalismo e sentido prático”
Octávia Carrilho, Secretária-Geral da ANA Aeroportos de Portugal, avalia o  trabalho da Hamlet:

“O trabalho com a Hamlet, ao nível da concepção e produção da revista da empresa, tem-se revelado cada vez mais frutuoso.

Gosto particularmente da atitude de responsabilidade que é demonstrada no trabalho da Hamlet e da preocupação de se manter fiel a um projecto que nasceu com muita dedicação e empenho e no qual se acredita.

É um trabalho planeado e organizado. Há da parte da equipa da Hamlet muito profissionalismo e sentido prático e a combinação destas duas variáveis permite um resultado final muito positivo”.

“Rapidez e profissionalismo”
Marta Anahory, responsável pela Comunicação Interna & B2B Sales Support da Prosegur, avalia o trabalho da Hamlet:

“Reforçamos a nossa satisfação em ter trabalhado com a Hamlet na última edição da nossa revista interna, um processo em que corresponderam às nossas solicitações sempre com grande rapidez e profissionalismo”.

“O parceiro ideal”
Paulo Rosa, Country Manager da Vexcorp Portugal, avalia a contribuição da Hamlet para a estratégia de lançamento da empresa no mercado português:

“A Vexcorp procura consolidar a sua operação em Portugal e viu na Hamlet o parceiro ideal para ajudar a criar uma estratégia que nos permita competir no disputado mercado português de wi-fi.

A Hamlet encontrou um ângulo de abordagem ao mercado português que tira partido da capacidade da Vexcorp na América Latina e no Brasil, em que somos líderes, abrindo-nos os olhos para um segmento de clientes empresariais e particulares que inicialmente não tínhamos considerado para o mercado europeu.

Vemos na Hamlet a capacidade estratégica, criativa e de implementação para nos ajudar a desenvolver propostas à medida das empresas portuguesas que podem beneficiar deste serviço, afirmando definitivamente a Vexcorp como um player importante no mercado português de telecomunicações.”

“Proactividade e rigor”
António Varela Afonso, Presidente do Conselho de Administração Executivo da CA Seguros, comenta o desempenho da Hamlet na promoção do processo de certificação da empresa:

“No primeiro projecto desenvolvido para a CA Seguros, a Hamlet demonstrou uma óptima compreensão das nossas necessidades de comunicação. Com uma atitude proactiva e rigorosa, aprofundou o brief “puxando” por nós na recolha de informação. O resultado foi além das nossas expectativas.

A CA Seguros seleccionou a Hamlet por ter apresentado um projecto de comunicação interna bem estruturado e muito apelativo em termos de imagem, com conteúdos perfeitamente adequados ao objectivo e ao orçamento, e com uma perspectiva de continuidade ao longo do período de desenvolvimento do projecto.

A comunicação proposta pela Hamlet contribuiu de forma decisiva para o entusiasmo das nossas equipas no lançamento do projecto. Continua a gerar agrado, uma vez que os colaboradores quiseram manter as peças da campanha nos seus locais de trabalho”

“Estratégia e capacidade de resposta”
Rui Lucena, Director de Marketing da CP Carga, avalia o trabalho da Hamlet:

“A Hamlet tem apoiado a CP Carga na comunicação da empresa e da marca comercial Cargo-Logistics Portugal. O trabalho da Hamlet tem sempre uma sólida base estratégica, que revela uma grande compreensão dos problemas específicos do mercado business-to-business, em que a CP Carga actua.

Também demonstra uma criatividade ajustada aos objectivos e focalizada nos resultados. Com uma boa capacidade de resposta em vários domínios – publicidade, direct mail, design, conteúdos de comunicação interna… – a Hamlet é um parceiro que tem merecido, da nossa parte, uma confiança crescente, e que nos surpreende a cada acção/iniciativa desenvolvida!”

ANA Aeroportos de Portugal

“Muito profissionalismo e sentido prático”

Octávia Carrilho, Secretária-Geral da ANA Aeroportos de Portugal, avalia o  trabalho da Hamlet:

A Magazine  - Revista Institucional da ANA Aeroportos de Portugal.“O trabalho com a Hamlet, ao nível da concepção e produção da revista da empresa, tem-se revelado cada vez mais frutuoso.

Gosto particularmente da atitude de responsabilidade que é demonstrada no trabalho da Hamlet e da preocupação de se manter fiel a um projecto que nasceu com muita dedicação e empenho e no qual se acredita.

É um trabalho planeado e organizado. Há da parte da equipa da Hamlet muito profissionalismo e sentido prático e a combinação destas duas variáveis permite um resultado final muito positivo”.

Maria Octávia Carrilho

Secretária-Geral da ANA Aeroportos de Portugal

 

Veja outros testemunhos dos clientes da Hamlet:

“Perfeccionismo e criatividade”
Cristina Aragão Teixeira, Ex-Directora de Marketing e Comunicação da Novabase, avalia o trabalho da Hamlet:

Trabalhar com a Hamlet tem sido uma experiência muito positiva. Sobretudo porque surpreendem sempre, ou quase sempre, principalmente no que toca à criatividade. Estudam o briefing e propõem algo imprevisível. Às vezes estranha-se, depois ama-se.

Aprecio particularmente a forma exigente como analisam o briefing: “massacram” o cliente a querer perceber tudo. Valorizo também a qualidade dos textos, é um dos valores acrescentados da Hamlet, e o perfeccionismo na execução dos trabalhos.

Não tenho qualquer hesitação em recomendar os serviços da Hamlet na comunicação de marketing.

“Proactividade e rigor”
António Varela Afonso, Presidente do Conselho de Administração Executivo da CA Seguros, comenta o desempenho da Hamlet na promoção do processo de certificação da empresa:

“No primeiro projecto desenvolvido para a CA Seguros, a Hamlet demonstrou uma óptima compreensão das nossas necessidades de comunicação. Com uma atitude proactiva e rigorosa, aprofundou o brief “puxando” por nós na recolha de informação. O resultado foi além das nossas expectativas.

A CA Seguros seleccionou a Hamlet por ter apresentado um projecto de comunicação interna bem estruturado e muito apelativo em termos de imagem, com conteúdos perfeitamente adequados ao objectivo e ao orçamento, e com uma perspectiva de continuidade ao longo do período de desenvolvimento do projecto.

A comunicação proposta pela Hamlet contribuiu de forma decisiva para o entusiasmo das nossas equipas no lançamento do projecto. Continua a gerar agrado, uma vez que os colaboradores quiseram manter as peças da campanha nos seus locais de trabalho”

“Rapidez e profissionalismo”
Marta Anahory, responsável pela Comunicação Interna & B2B Sales Support da Prosegur, avalia o trabalho da Hamlet:

“Reforçamos a nossa satisfação em ter trabalhado com a Hamlet na última edição da nossa revista interna, um processo em que corresponderam às nossas solicitações sempre com grande rapidez e profissionalismo”.

“Estratégia e capacidade de resposta”
Rui Lucena, Director de Marketing da CP Carga, avalia o trabalho da Hamlet:

“A Hamlet tem apoiado a CP Carga na comunicação da empresa e da marca comercial Cargo-Logistics Portugal. O trabalho da Hamlet tem sempre uma sólida base estratégica, que revela uma grande compreensão dos problemas específicos do mercado business-to-business, em que a CP Carga actua.

Também demonstra uma criatividade ajustada aos objectivos e focalizada nos resultados. Com uma boa capacidade de resposta em vários domínios – publicidade, direct mail, design, conteúdos de comunicação interna… – a Hamlet é um parceiro que tem merecido, da nossa parte, uma confiança crescente, e que nos surpreende a cada acção/iniciativa desenvolvida!”

Hamlet renova revista institucional da Novabase

Os 20 anos da Novabase estão a ser também marcados pela renovação completa, pela Hamlet Comunicação de MArketing entre Empresas, da sua revista institucional – a e-motion. A reformulação – que, por coincidência, aconteceu precisamente no capa e-motion número 20 – veio dar à publicação um grafismo mais fresco, imagens mais apelativas e um conteúdo que, sem perder o rigor informativo, é tratado de forma mais interessante e apelativa.

Dirigida a colaboradores, clientes, parceiros, accionistas e formadores de opinião, a e-motion visa reforçar a notoriedade e prestígio da marca, estimular a partilha de ideias e divulgar produtos, serviços e sucessos da empresa.

A Hamlet é a primeira empresa em Portugal exclusivamente dedicada à comunicação de marketing business-to-business. Entre os seus principais clientes está também a ANA Aeroportos de Portugal, para quem, entre outros projectos de comunicação externa e interna, edita trimestralmente a revista A Magazine. Para a Novabase a Hamlet tem desenvolvido, além da e-motion, projectos que incluem publicidade, email marketing e acções de comunicação interna..

Hamlet estreia no País para ajudar empresas a atrair parceiros

Jornal de Negócios – 2007-04-13

 

A comunicação B2B não tem que ser chata

Lúcia Crespo

“2B or not 2B”. Eis a brincadeira que levou ao nome Hamlet, a nova empresa criada em Portugal por Jayme Kopke e Eduardo Storino, profissionais com cartas dadas no mundo do “marketing” e da comunicação. A marca agora lançada actua nestas mesmas áreas. Com uma diferença. Não tem como objectivo ajudar as empresas a conquistar consumidores finais, mas sim a captar outras empresas. É a comunicação “company to company”.

“Estamos a falar de uma necessidade óbvia para empresas que operam em mercados ‘business-to-business’ e que, portanto, têm de promover os seus produtos e serviços junto de clientes empresariais”, comentam, ao Jornal de Negócios, estes empreendedores. “E mesmo as empresas vocacionadas para o consumidor final precisam de comunicar com outras empresas ou públicos profissionais: parceiros, intermediários, públicos internos…”.

Como referem os profissionais no “site” da marca, a comunicação entre empresas costuma ser sinónimo de discursos frios, formais. Numa palavra: chatos. “O argumento é que a comunicação de negócios é um assunto sério. Os apelos à emoção seriam pouco profissionais. Este raciocínio esquece que quem compra não são as empresas. São as pessoas dentro das empresas.”

Identificada a lacuna em Portugal, estava aberto o caminho à concretização da ideia. “A comunicação ‘company to company’ tem sido uma espécie de parente pobre da comunicação”, sustentam. “Trata-se a comunicação dirigida às empresas como se fosse uma comunicação dirigida ao consumidor, com um uso totalmente desnecessário dos meios mais caros, como os ‘mass media'”, consideram. “Esta é uma área especializada e, por isso, deve ser tratada como tal. Normalmente serão produtos e serviços mais complexos e diferenciáveis, com um valor por transacção e ‘lifetime value’ do cliente geralmente mais altos e com uma decisão sujeita a cadeias de influência mais complexas do que no caso do consumidor final.”

Por exemplo? “Para uma marca de grande consumo em fase de lançamento, conquistar a distribuição é um campo em que uma boa comunicação ‘company to company’ pode fazer toda a diferença, principalmente num contexto em que os canais de distribuição têm uma força negocial cada vez mais maior, face à qual a resposta tradicional – ceder sempre um bocadinho mais no preço – já está mais que esgotada.”

Acções de incentivo a colaboradores ou forças de vendas, programas de relacionamento com clientes e parceiros de negócio são outros serviços disponibilizados.

 

Os clientes Hamlet

A empresa está a trabalhar quatro clientes. Para a Novabase, Jayme Kopke e Eduardo Storino estão a desenvolver dois projectos, um deles de comunicação interna. Para a Snock, marca de sanduíches embaladas, estão a apoiar o desenvolvimento do portfólio de produtos, a comunicação com a distribuição e as acções de “trade marketing”.

A Hamlet está, também, a trabalhar a Glavis, empresa portuguesa de comercialização de implantes dentários, e a Secret Places, operador “online” que comercializa redes de ofertas turísticas.

Trabalhar estas diferentes áreas de comunicação e de “marketing” exige competências que estes profissionais têm carimbadas no seu currículo. Jayme Kopke foi director criativo de agências de publicidade e “marketing” relacional como a Wunderman, BMZ Park, Strat; FCB e Leo Burnett. Eduardo Storino, entre outras experiências acumuladas, foi director de unidade de negócios da Edson FCB.

Publicidade entre empresas

Revista Prémio – 13-04-2007 –

A Hamlet quer dar à comunicação entre empresas o mesmo brilho da publicidade dirigida às massas.

Carina Correia

Dois veteranos do sector da publicidade juntaram-se para criar um novo conceito neste sector. Eduardo Storino e Jayme Kopke são brasileiros, mas estão em Portugal há praticamente 20 anos. Conhecem o mercado a fundo, desde as características dos anunciantes aos meios e às agências. Há cerca de um ano detectaram uma oportunidade de negócio e começaram a desenvolver o projecto Hamlet.

Tudo começou com um diagnóstico: «O mercado está fixado na comunicação business-to-consumer. Falta a comunicação business-to-business», constata Eduardo Storino. E esclarece: «A comunicação entre empresas é tipicamente muito fria, muito quadrada. É o pensamento mais secundário do empresário depois de definir orçamentos para anúncios».

Porém, como sublinha Jayme Kopke, a comunicação com parceiros, fornecedores ou empresas clientes não pode ser um subproduto, «tem de ser feita com o mesmo profissionalismo e não ser apenas uma sombra do brilho que caracteriza a comunicação dirigida aos consumidores».

O tal «brilho criativo» é aquilo que Eduardo e Jayme propõem vender, utilizando a sua experiência e «a mesma solidez estratégica» que já aplicaram ao planeamento de campanhas publicitárias». Uma missão que poderá até ser mais facilitada pelo tipo de público que se pretende atingir.

«O mercado de massas é mais heterogéneo, enquanto que os decisores empresariais são um grupo mais homogéneo, com interesses e preocupações semelhantes.»

Quem são então os potenciais clientes da Hamlet? A resposta da empresa é: «Todos». Desde as empresas mais focadas em business-to-business, até mesmo àquelas cuja tónica é business-to-consumer. Exemplos? A Hamlet já tem como cliente a Snock, uma empresa alimentar que produz directamente para o consumidor.

Por que é que eles precisam da Hamlet? «É uma empresa que ainda não está na fase de comunicação de massas. Está antes na fase de conquista dos canais de distribuição.» E é para eles que a Hamlet os ajuda a comunicar.

Outro cliente que ilustra o âmbito de actuação da Hamlet é a Novabase. Esta tecnológica está a servir-se do know how publicitário de Eduardo e de Jayme para comunicar com o seu público interno. Jayme Kopke explica que a utilização de suportes de comunicação adequados pode ser muito útil à motivação de uma equipa de força de vendas, por exemplo.

Definir os alvos

Aquilo que os fundadores da Hamlet esperam transmitir aos seus clientes é um conceito de definição de prioridades e também de clarificação do público-alvo.

«Os clientes podem passar a encarar a sua forma de comunicar sob uma nova perspectiva e perceber, por exemplo, que o recurso a mass media é, muitas vezes, desproporcionado.»

Conhecendo a realidade do mercado, os dois sócios acreditam que os seus clientes serão as empresas médias com necessidades de comunicação muito específicas, mas também as empresas grandes que já são anunciantes. E vão mais longe: «Os grandes anunciantes esquecem-se muitas vezes de algumas áreas dentro da sua empresa que também comunicam com o exterior ou com o público interno. Elas também devem ter uma comunicação profissionalizada».

Se tudo correr como Eduardo e Jayme planeiam e se a Hamlet também provar do seu próprio remédio e souber comunicar com os clientes, deverá conseguir facturar 250 mil euros até ao final do ano.

Será que o mercado está desperto para a «publicidade» entre empresas? Ou, como explica Eduardo, para a importância da «teatralidade das relações empresariais» ? É isso que Hamlet vai descobrir e daí também o seu nome «teatral».

“Recorrer a mass media pode ser desproporcional face ao alvo, além de deixar de lado públicos importantes”

Jayme Kopke e Eduardo Storino criam Hamlet

Meios e Publicidade – 20 de Abril de 2007 às 02:00:00

Jayme Kopke e Eduardo Storino regressaram, juntos, ao marketing nacional, desta vez na área da comunicação entre empresas. “Uma lacuna que havia no mercado”, sobre a qual fundaram a Hamlet parodiando a célebre frase ‘2B or not 2B’.

Segundo confirmou Jayme Kopke ao M&P, o novo projecto conta já com a Novabase, a empresa de sanduíches embaladas Snock, Secret Places e a Glavis, empresa de comercialização de implantes dentários com actuação no mercado ibérico, como clientes, e espera para o primeiro ano uma facturação na ordem dos 250 mil euros.

O ex-director criativo de agências como a Wunderman, a Strat ou a Leo Burnett salientou não querer estender o seu portfolio além das oito a dez empresas, já que se pretende privilegiar uma relação de ‘costumer intimacy’.

A Hamlet recorre a cerca de 15 parceiros externos, desde freelancers a designers, empresas de soluções de internet e relações públicas. A explicação para o recurso a outsourcing prende-se com um objectivo de “crescer em negócios mas não em estrutura”, disse ainda o responsável pela agência de comunicação entre empresas.

Notícias Relacionadas